Medicamentos alternativos são eficazes?

Nos últimos anos, um número crescente de pessoas tem se interessado pela medicina alternativa para tratar doenças. A medicina alternativa, como prática, criou uma quantidade significativa de controvérsia dentro e fora do campo médico tradicional.

Medicina alternativa refere-se a um tratamento ou substância não comprovada sob a aplicação ou padrões científicos aceitos. Os tipos mais comuns de medicina alternativa incluem ervas, suplementos, terapias e atividades que estão fora da prática médica tradicional. Alguns deles levantam questões sobre sua segurança e eficácia.

Acupuntura, massagem, meditação, chá de ervas e extratos de plantas são populares entre os devotos da medicina alternativa, mas muitos médicos tradicionais acreditam que esses tratamentos são ineficazes ou até perigosos.

A medicina alternativa se tornou cada vez mais popular à medida que mais pessoas enfrentam dores, sofrimentos e doenças que acompanham o envelhecimento. Em alguns casos, os indivíduos não obtiveram cura com as abordagens médicas tradicionais e recorrem a outras opções para tratar sua doença.

Ainda em outros casos, as pessoas sentem muito fortemente que os métodos naturais de tratamento são melhores do que a medicina tradicional; portanto, buscam respostas de médicos alternativos em vez do médico de família.

Existem riscos associados à medicina alternativa. Alguns dos riscos surgem pelo uso de substâncias não testadas, ineficazes e até inseguras. Às vezes, os fabricantes dessas substâncias exageram as alegações de sua eficácia. Eles podem deturpar a ciência relacionada ao material para convencer os consumidores a comprar o produto, mesmo que seu uso possa comprometer a saúde de uma pessoa.

Alguns remédios à base de plantas são anunciados como capazes de melhorar a memória, aumentar o metabolismo ou curar câncer e doenças cardíacas. Na realidade, alguns remédios podem causar danos se tomados em altas doses.

Outro risco é que alguém com uma doença grave como o câncer não receba tratamentos tradicionais e comprovados, preferindo usar métodos alternativos que podem não ser eficazes. Nesses casos, as pessoas estão arriscando suas vidas.

Às vezes, os pacientes podem estar usando tratamentos alternativos, mas não informando seus médicos sobre eles. Isso pode levar a interações medicamentosas perigosas. Se um médico tradicional não tem conhecimento da substância que um paciente está tomando, medicamentos que produzem interações prejudiciais podem ser prescritos sem saber.

É possível reconhecer um tratamento alternativo potencialmente arriscado. Se um tratamento parece bom demais para ser verdade, provavelmente é. Embora esse seja um clichê, geralmente é verdade em situações que envolvem medicamentos alternativos.

Cuidado com os produtos rotulados como ‘milagrosos’ ou ‘remédios antigos’. Se você estiver pensando em tratamentos como acupuntura ou reflexologia, verifique as qualificações do profissional antes de ser tratado. Pergunte sobre o treinamento recebido e pesquise o tratamento para determinar se ele foi cientificamente testado e considerado eficaz.

É uma boa ideia perguntar ao seu médico sobre um tratamento alternativo que você está considerando. Profissionais médicos treinados têm experiência e educação para ajudá-lo a tomar decisões seguras sobre sua saúde.